sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Repoetisar, se verbo aceitável fosse,
só faria parte do eu
Apenas ele, e mais ninguém,
tem jeitos de sair do desdém
É querer ver
É querer sentir
É ser
na monotonia desse grande armazém

"Da observação

Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio..."
MQ

Um comentário:

Anônimo disse...

bom dia minha importância, meu recreio!!!

é isso mesmo, tudo que está fora das importâncias, vira recreio.

assim teríamos dois tempos: o tempo das importâncias e o tempo do recreio. Não haveria tempo ruim!

e essa separação não seria, ainda, no sentido forte, pois há recreios de suma importância.

bjecreimportancia