quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Sim, mas você assume o risco de eu encontrar alguém?

A pergunta inesperada subverteu a lógica do que vinha sendo construído. A teoria da amizade calculada foi posta à prova.

Desafios e riscos insuflam ânimo em trechos da vida. E como sempre ocorre, sem nenhuma exceção, não há como escapar da potencialidade das perdas intrínsecas a eles. A questão era decidir a qual risco se submeteria.

Agora havia algo diferente. Mas na babel da razão e dos sentimentos, pouco se distinguia.

Passou a noite toda em silêncio; silêncio atormentado pela algaravia de suas inquietações.

E na claridade de outro dia, lançou suas dúvidas à casualidade das emoções.

3 comentários:

Ana Laura disse...

Eu tô curioooosa...
Nos falamos amanhã sem falta!

Márcio disse...

A gente nunca sabe ao certo se está entendendo quando você escreve textos literários e enigmáticos. Na minha interpretação digo que ele, seja quem for, é que corre o risco de perder você. Só se esse alguém que ele quer encontrar for qualquer alguém. Me redimi? Beijo

Viviane Viana disse...

Ahahahaha
Ana, acabamos não conversando sobre isso...
Márcio, obrigada pelas palavras carinhosas!