quarta-feira, 26 de agosto de 2009

[...]

Esteve de pé em vão. Ela passou apressada pelo raio X do portão de embarque com as bagagens de mão e seguiu sem hesitar. O olhar dele fitou-a até que sumisse. Havia esperança que ela virasse no último momento para acenar um até breve que não veio. Olhou para os lados e meio desnorteado desceu as escadas para pagar o estacionamento.

– Oi! Cheguei bem e já estou no quarto. Sairei daqui a pouco para comer alguma coisa.
– Que bom. Esperei que você olhasse pra trás para dar tchau.
– Mas você nunca foi romântico!

Talvez ela tenha razão. Talvez ele não tenha dado muitas mostras de romantismo no tempo em que estiveram juntos. Mas ele mudou. Como seria para ela lidar agora com esse novo homem?

Nenhum comentário: