segunda-feira, 20 de julho de 2009

No dia do amigo, a amizade:

1º ato

– Oi, Vi. Tudo bem? Olha, não costumo fazer isso, fico até sem jeito...
– É sobre o email que enviou?
– É, sim.
– Ué, eu li e respondi.
– Não recebi resposta, por isso estou ligando. O que você disse?
– Se não for causar problema a você, sei que ele é colega da sua namorada, tem como desconversar e não passar meu telefone?
– Não é problema nenhum. Mesmo que fosse, e daí? Você é minha amiga.
– Obrigada.
– E quer saber de uma coisa? Não gostei muito do jeito dele. Não sei. Precisava te consultar pra desencanar. Mas acho que não é cara pra você. Fico tranquilo ao saber que você não se interessou.
[risos]
– A gente se fala. Tenho que desligar, estou dentro do avião. Vou pro Rio.
– Boa viagem!

2º ato

– Olá!
– Oi, Vivi. Recebi sua mensagem. Adorei! Obrigada. Ia retornar mais tarde.
– Tudo bem com você?
– Tudo bem, sim. E com você?
– Preciso da sua ajuda. Passei na primeira fase e fui chamada pra enfrentar a banca, mas não faço ideia do que eles pedem e não sei como começar a apresentação.

O relógio marca 20h15. Ela trabalhou e é sozinha para administrar casa, dois filhos e seus próprios conflitos:

– Venha aqui que te ajudo. Estou na garagem, mas o rapaz em quinze minutos termina o conserto.

Acabo de voltar. São 23h40.

Nenhum comentário: