domingo, 5 de julho de 2009

Floresta Encantada era bebida aos goles, enquanto esperava a realização da promessa de que ela abriria os canais sensíveis para que fluísse a conversação com criaturas invisíveis. A euforia da gente, alimentada pelo som dos Kiaulles, uma mistura de jazz, blues, folk e música celta, não me permitiu ouvi-las, mas como estão num plano mais elevado, devem ter me escutado. Pedi em números quase nada. Em qualidade, o que quero de uma vida. E não me fiz de rogada. Tinhosa que sou, ameacei atrasar a partida.

Nenhum comentário: