segunda-feira, 1 de junho de 2009

Senti falta da sensação quente, de almoço saudável posto à mesa com capricho, de chinelo reclamado fora do pé, de chá de abacaxi à noite, de mãe. Foi a primeira manhã sozinha de volta à rotina após a viagem a Natal.
Assim devem acordar os órfãos, mesmo aqueles de pais vivos. Mas todos esses, acredito, sem saudade, sem saberem ao certo o que lhes foi negado porque nunca tiveram carinho de mãe.

Nenhum comentário: