segunda-feira, 18 de maio de 2009



Lembrou-se de personagem brasileiramente Freyriano de Gilberto que, em Dona Sinhá e o Filho Padre, lembrou-se de Oswald de Andrade quando confessou que estava apaixonado por uma senhora com idade quase da avó e dizia que Freud o entenderia.

Não estava ele ainda apaixonado, mas enamorado. E nem ela tinha idade quase de sua mãe. Talvez a da irmã, que quase a dele. Mas a psicanálise certamente acudiria aquele arranjo com explicações quase palpáveis.

4 comentários:

Anônimo disse...

Vivi, o que tá rolando? De quem hablas? Tá apaixonada? Pode responder aqui só pra mim.....:)
Beijo
Valéria

Vicente disse...

Esse blógue com tá com um cara muito mulherzinha.

Viviane de Paula Viana disse...

Para autor de um blog intitulado "Preto, Pobre, Suburbano", você está muito preconceituoso, hein?! Cara de mulherzinha?! Homem que é homem fala de quê? Política? Já tratei. Administração? Também. Futebol? Idem.

Valeu ter dado o ar da graça por aqui!

Ah, anime-se a escrever mais no seu blog. Cansei de bater lá e dar de cara com o post do Flamengo. Por sinal, argh!

Saudade dos velhos tempos de O Dia.

Beijos

Marcelo disse...

Vivi
Sua amiga Valéria tem razão? Buááááááá
O que ele tem que eu não tenho????? rs
Até pensei que estivesse falando de mim rs, mas comigo não teria insegurança e complicações nem Freud no meio. hehehe
Se ele acompanha esse ne´gócio, diga para não me levar a mal.
Beijo