domingo, 14 de dezembro de 2008

Vicky, Cristina e todos nós

Vicky Cristina Barcelona, novo longa de Woody Allen, poderia ser chamado também de "Eu, você, todos nós: em Barcelona ou qualquer lugar do mundo". Longe de pretender transformar este blog em um espaço crítico da sétima arte. Se bem que vontade não falta para divagar um pouco sobre a nova fase do cineasta, desde Scoop e Match Point, e seu olhar preguiçoso de Barcelona, com tantas cores e imagens, incompreendidas pelas lentes.

O intuito é refletir sobre a infelicidade que parece nos alcançar em qualquer circunstância. Entendo que a época não é apropriada para falar disso. Até porque não há infelicidade às vésperas do Natal. A imposição incontrariável do marketing torna todas as famílias alegres e amorosas, planejando comemorações e troca de presentes.

Vicky e Cristina são duas jovens amigas que têm visões diferentes sobre o amor. Na vida real, a dualidade que existe em nós, invariavelmente. Vicky é a poção racional, que controla (ou tenta controlar) a perturbação do desejo em nome de um amor estimulado socialmente: o da casa espaçosa, com filhos, cachorro e uma placa na porta: "Aqui vive uma família feliz". Mestranda, noiva de um executivo, ela sabe o que quer e o que deve fazer para ter essa vida.

Cristina é inquieta, inconformada e não está disposta a renunciar à vida. Tudo o que ela não quer é uma relação pseudo-feliz, que lhe conceda a segurança necessária para caminhar tediosamente sem riscos. Onde não haja aprendizado, crescimento e estímulo.

Após viverem, cada uma a seu modo, tumultuado romance com um pintor libertário e sedutor - às voltas com sua ex-atual-sempre paixão - retornam ao ponto inicial de seus dramas internos. Parece haver apenas duas opções: ser controlada e medianamente infeliz ou viver na gangorra dos sentimentos dicotômicos e alucinógenos.

O que fizeram àquele Woddy Allen de "Todos dizem eu te amo"? E o que fizeram de nós? O que fazemos de nós? Será que, como dito no filme, o único amor romântico é aquele que não se realizou?

Nenhum comentário: